quarta-feira, 27 de julho de 2011

Eucaristia: acontecimento e mistério

Dom Genival Saraiva
“Se Jesus não deu aos discípulos pão e vinho como seu Corpo e seu Sangue, então a celebração eucarística é vazia, uma piedosa ficção, não uma realidade que funda a comunhão com Deus e dos homens entre si.” Essa é a afirmação de Bento XVI, no livro, recentemente publicado, “Jesus de Nazaré – Da entrada em Jerusalém até a Ressurreição”.

O Papa se atém à certeza do fato histórico da instituição da Eucaristia, porém, necessariamente, há de estar presente o elemento fé. “Certamente, nesse contexto, coloca-se uma vez mais a questão sobre o modo possível e adequado de uma certificação histórica. Devemos estar bem cientes de que uma investigação histórica pode conduzir sempre e só até um alto grau de probabilidade, nunca a uma certeza última e absoluta sobre todos os pormenores. Se a certeza da fé se baseasse exclusivamente sobre uma certificação histórico-científica, continuaria sempre passível de revisão.” No livro, o Papa trata do “problema da datação da Última Ceia de Jesus”, segundo a leitura dos Sinóticos e de João.

A Eucaristia é vista como um fato histórico, porque aconteceu no tempo, e como mistério da fé. Didaticamente, Jesus se reportou à Eucaristia, por etapas; situou-a como prefiguração, ao falar do maná que alimentou o povo na caminhada do deserto, na busca da terra prometida; referiu-se, mais claramente, à Eucaristia, ao falar do pão da vida, no capítulo 6º do Evangelho de São João, dizendo que daria sua carne, “para vida do mundo”; na Última Ceia, a institui, como Sacramento, ao pronunciar sobre o pão e o vinho essas palavras “Isto é o meu corpo”, “Este é o cálice do meu sangue”. “Fazei isto em memória de mim”. Todos os sacerdotes continuam repetindo, no momento da Consagração, as mesmas palavras, “in persona Christi”. Sobre esta expressão, o Beato João Paulo II escreve na Encíclica Ecclesia de Eucharistia: “Como já tive oportunidade de esclarecer em outras ocasiões, a expressão in persona Christi ‘quer dizer algo mais do que ‘em nome’, ou então ‘nas vezes’ de Cristo. In persona, isto é, na específica e sacramental identificação com o Sumo e Eterno Sacerdote, que é o Autor e o principal Sujeito deste seu próprio sacrifício, no que verdadeiramente não pode ser substituído por ninguém.”

Os Sacramentos da Eucaristia e da Ordem coexistem e exigem-se, mutuamente, como escreve João Paulo II nessa Encíclica: “Por isso, ‘o mistério eucarístico não pode ser celebrado em nenhuma comunidade a não ser por um sacerdote ordenado, como ensinou expressamente o Concílio Ecumênico Lateranense IV’. (...) Se a Eucaristia é centro e vértice da vida da Igreja, o é igualmente do ministério sacerdotal. Por isso, com espírito repleto de gratidão a Jesus Cristo nosso Senhor, volto a afirmar que a Eucaristia ‘é a principal e central razão de ser do sacramento do Sacerdócio, que nasceu efetivamente no momento da instituição e juntamente com ela’.” Em verdade, segundo o ensinamento do Papa e conforme a vivência de cada sacerdote, sem a Eucaristia não haveria razão para o sacerdócio na Nova Aliança e na vida da Igreja. O sacerdócio da Nova Aliança, portanto, é essencialmente eucarístico porque é o sacerdócio do “único e eterno sacerdote”, como ensina a teologia da Carta aos Hebreus. (cf. Hb5-8)

A instituição da Eucaristia, como certeza histórica, é um acontecimento importante na vida da Igreja, porém, sua significação, como “mistério acreditado”, “mistério celebrado”, “mistério vivido”, “mistério anunciado” e “mistério oferecido ao mundo”, somente é compreendida pela iluminação da fé.

Dom Genival Saraiva de França
Bispo de Palmares e Presidente do Regional Nordeste II

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Diocese de Mossoró: Paróquia de São Miguel Arcanjo dá primeiros passos no Catecumenato

Aconteceu no último dia 17, na cidade de São Miguel/RN, a formação específica para introdutores de Catequese tendo como tema o Catecumenato. Mirací Borges, membro da Comissão Diocesana  Catequese, esteve realizando essa formação.

“Lá em São Miguel está tudo pronto para começar o pré-catecumenato. A Paróquia já apresenta 40 candidatos e 20 introdutores muito bem selecionados”, afirma Mirací, que voltou para Mossoró com a certeza de que, com planejamento e força de vontade, o Catecumenato pode ser desenvolvido nas comunidades da nossa Diocese.

Fonte: http://catequesemossoro.blogspot.com/

sábado, 23 de julho de 2011

Catequistas de Maceió participam de formação sobre o Catecumenato

Aconteceu no dia 19, na paróquia Nossa Senhora das Dores, que tem como pároco o Pe Elison Silva (Articulador de Catequese do Regional Nordese II), um encontro de formação para catequistas promovido pela Livraria Paulinas.

O assessor foi o padre Leomar Brustolin, professor da PUC do Rio Grande do Sul. o tema principal do encontro foi a Catequese com estilo Catecumenal. Através de exemplos, o padre mostrou os passos e metódos para esse novo olhar na Catequese. "Sabemos que nossas comunidades possuem muitas dificuldades, contudo é preciso humildade e reconhecer que precisamos sentar e aprender sobre o tema", explicou o padre sobre a importância da formação.

Em uma segunda parte, padre Leomar juntou grupo e fez uma experÎencia prática de como os catequistas podem melhorar seus encontros.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

O Catequista e a Animação Bíblica da Pastoral

Nos últimos anos, temos acompanhado a grande preocupação de nossa Igreja e o apelo de nossos bispos para um reaprender e familiarizar-se com o novo vocábulo que é o da “Animação Bíblica da Pastoral”. Obviamente, este termo pode ser novo na nossa linguagem, porém, muito presente na caminhada do povo da Bíblia bem antes da Tradição escrita. Todavia, não encontramos na Bíblia a expressão Animação Bíblica da Pastoral, mas encontramos uma dimensão bíblica que permeia todo agir ético e comportamental do povo de Deus. Um exemplo típico desta transmissão pode ser encontrado no Sl 78 (79) que diz: O que nós ouvimos, o que aprendemos, o que nossos pais nos contaram, não ocultaremos a seus filhos; mas vamos contar à geração seguinte as glórias do Senhor, o seu poder e os prodígios que operou” Os primeiros educadores da fé e ou agentes de pastoral, tinham em mente que o processo educativo da fé se dava pela de transmissão da Palavra de Deus.

No centro da espiritualidade de Israel está a Palavra pela qual Deus se fez conhecer a si mesmo e que ajuda a interpretar os novos acontecimentos da história. Logo, toda ação evangelizadora, tanto no Antigo como no Novo Testamento, era perpassada pela dimensão Bíblico-Catequética.



quarta-feira, 6 de julho de 2011

Congresso Bíblico da Pastoral

Aviso urgente

Peço-lhe a gentileza de enviar-me, via correios a ficha que repassei em nosso encontro, para ser remetido ao Nacional referente ao Congresso Bíblico da Pastoral para o endereço Av. Nossa Senhora do Bom Conselho, 129 - Bom Conselho - Belo Jardim - PE - CEP 55153-180 (antecipem o envio escaneando e anexando a este email: adilsontf@hotmail.com) até o dia 10 de julho.

Não se esqueçam de verificar a questao da HOSPEDAGEM urgente e diretamente com o hotel.

Com estima.

Pe. Adilson

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Veja o material utilizado na formação dos Coordenadores Diocesano de Catequese do Regional Nordeste II

Baixe aqui todo material utilizado no encontro de Formação dos Coordenadores Diocesanos de Catequese do Regional Nordeste II.

Material do Pe. Baronto:
 
Iniciação Cristã I
Iniciação Cristã II
Iniciação Cristã III
Iniciação Cristã IV
Iniciação Cristã V
Percursos Iniciáticos
Iniciação e Ritos de Passagem - Org
Catecumenato-esquema
Catecumenato
Um novo olhar sobre a Catequese
Roteiro para um encontro de catequese de adultos

Professor Anderson:
Catequese com Jovens e Adultos CNBB - NE II

Veja aqui as fotos do encontro

NE II de Catequese: Pe Elison Silva assume a articulação da Catequese no Regional Nordeste II de Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética

Giselma-PB, Dom Mariano, Pe Adilson, Dom Francisco
 e Diácono Edmar-RN
O último dia iniciou com a celebração eucarística, logo em seguida, Pe Adilson se despediu dos trabalhos do regional e foi homenageado pelos coordenadores diocesanos e por Dom Mariano pelos bons trabalhos desenvolvidos no regional.

Dando continuidade o grupo foi dividido por províncias para que apontassem as luzes, as sombras desse encontro e as sugestões para os próximos, o grupo também escolheu duas pessoas para compor a comissão regional de catequese e articular sua província.

Pe Elison Silva - Arquidiocese de Maceió-AL

Finalizando os trabalhos foi apresentado por Dom Mariano o novo articulador do Regional Nordeste II Pe Elison Silva da Arquidiocese de Maceió e toda comissão que compõem a Comissão Pastoral para a Animação Bíblico Catequética do Regional Nordeste II.





Comissão Regional Nordeste II de Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética
Da esquerda para direita: Joseilton, Andrey, Cliane Dom Mariano, Ir Lída
Diácono Aldevan, Pe. Elison, Pe Ailton e Diácono Edmar
Dom Mariano Manzana – Bispo responsável  

Pe. Elison Silva - Articulador

Alagoas


Articuladores:
- Joseilton Luz de Oliveira
- Cliane Silva de Araújo





Paraiba

Província Eclesiástica da Paraíba

Articuladores:
Pe José Carlos
Diácono Aldevan
Ir Letícia



Pernambuco

Província Eclesiástica de Olinda e Recife

Articuladores:
Pe Ailton Maciel Correia da Silva
Ir Lídia de C. Leal





Rio Grande do Norte

Província Eclesiástica de Natal

Articuladores:
Diácono Edmar de Araújo Conrado
Andrey Jonathan




Comissão do Subsídio de Intinerário de Iniciação Cristã do Regional Nordeste II

Pe. Elison Silva
Pe. Marcos André Ferreira
Ana Maria Alves


Província Eclesiástica de Maceió

NE II de Catequese: Pe Baronto apresenta itinerário da iniciação cristã segundo o RICA

O segundo dia iniciou com uma oração organizada pelo pessoal do estado de Alagoas, na capela do seminário São José, em seguida todos foram ao auditório e o prof.  Aderson Viana, da arquidiocese de Olinda e Recife, representante do regional NE II, apresentou uma proposta de elaboração de um itinerário de iniciação cristã, para o esse regional, a partir da produção de dois manuais de catequese para jovens e adultos não batizados e batizados não evangelizados, porém é necessário que o grupo escolha dois catequistas, além do coordenador do regional de catequese para ajudar na elaboração desses manuais. Posteriormente, Pe. Baronto iniciou seus trabalhos apresentando um esquema criado pelo Pe. Domingos Ormonde e Pe. Kleber R.Silva, mostrando o itinerário da iniciação cristã segundo o RICA, para situar algumas pessoas que não participaram dos encontros passados. Depois ele trabalhou o texto criado por ele: “Os Ritos de Passagem e sua importância para a compreensão e prática da iniciação cristã”. Onde enfatiza que os ritos de passagem servem para garantir a transformação do estado de vida. E que do ponto de vista antropológico, a iniciação assume uma dimensão de processo socializante, no sentido de introduzir gradualmente a pessoa num grupo social, numa doutrina e numa profissão. No sentido cristão, é um processo gradual de fé realizado pelo convertido com ajuda de uma comunidade de fiéis, para tornar-se membro da mesma por meio dos sacramentos de entrada e da ação do Espírito Santo.

O momento da tarde iniciou com Pe. Adilson informando sobre o I Congresso de Animação Bíblica da Pastoral  e convidou todas as dioceses do regional NE II a participarem. Em seguida todos recebem o texto de Pe. Baronto “Iniciação Cristã e Renovação de Paradigmas”, anexo ao texto tem uma carta de um jovem que conta o comportamento dele durante a caminhada para receber o sacramento da confirmação, ela foi lida em grupo para se perceber o caminho de sua iniciação cristã dele. Depois Pe. Baronto expõe que a iniciação cristã necessita do evangelho de São Marcos para se orientar, pois marcos quer dar o gosto de avançar em liberdade e confiança, num mundo em mudança, avaliando as possibilidades e limites de cada ambiente, estando atento aos novos traços culturais, que vem modificar a relação com o religioso e marca a cultura deles. Para renovar o paradigma é preciso passar da perspectiva do rio para a fonte, passando dos cursos para os percursos, trilhando caminhos novos que levam ao coração do mistério, com guias pertinentes. Por fim propôs percursos e apresentou a paróquia como uma rede.

A noite houve a celebração eucarística, presidida pelo Pe. Baronto e concelebrada por Dom Mariano e demais padres presentes. Em seguida, Pe. Baronto vivenciou com o grupo um roteiro para um encontro de catequese de adultos, tendo como ponto central a celebração eucarística, primeiro houve a acolhida, apresentações, momento de meditação individual em silêncio, no segundo momento foi recordado uma lembrança de experiências de gratidão do grupo, no terceiro momento foi feita uma leitura orante do texto bíblico da ultima ceia e da oração eucarística V, no quarto momento todos partilharam o que levariam do encontro para sua vida e por fim houve uma partilha de alimentos, em ação de graças.

sábado, 2 de julho de 2011

NE II de Catequese: Pe Baronto apresenta a Iniciação Cristã como um processo de trasmitir a fé

O segundo dia começou com uma oração na capela do seminário São José, conduzida pelo Diácono Edmar Conrado, da diocese de Natal, onde todos participaram desse momento orante. Em seguida, já no auditório, Dom Mariano, fez uma retrospectiva dos temas dos encontros passados, situando e mostrando a relação desses temas com o tema RICA - ESPAÇO PRIVILEGIADO PARA A CATEQUESE, que será vivenciado ao longo de três dias.

Após esse primeiro momento Pe. Baronto começou sua assessoria falando sobre “Iniciação Cristã de Adulto – um olhar para uma nova prática”. Todos receberam um texto, elaborado por ele com o título “Cenários Pastorais e Iniciação Cristã, que foi trabalhado durante todo o dia.

Segundo Pe. Baronto os cristãos não são iniciados na fé cristã, por isso surge a necessidade de resgatar o RICA. Para isso é preciso saber que cenários pastorais estão se propondo para catecúmenos, eventos ou itinerários de crescimento na fé, pois faz-se necessário passar dos cursos para os percursos. Nas paróquias participam pessoas em níveis diferentes de iniciação, o desafio é efetivar um processo educativo que envolva a pessoa toda do crente, para se atingir a maturidade da fé, para isso é preciso desenvolver o crescimento humano, encontro com Cristo, a inserção na comunidade eclesial e o empenho pelo Reino.

A noite houve a celebração eucarística e finalizando a programação do dia foi apresentado por Joseilton Luz o blog da Catequese CNBB http://catequeseebiblia.blogspot.com/ e o do Regional Nordeste II http://catequeseregionalnordeste2.blogspot.com/, mostrando a importância dos meios tecnológicos nos trabalhos da catequese incentivando as dioceses a construírem seus blogs fazendo uma grande rede de blog direcionando as paróquias ao da diocese as dioceses ao do regional e os regionais ao da CNBB.

CADASTRE AQUI SEU EMAIL E RECEBA NOSSAS NOVIDADES